.mais sobre nós

http://invictus-criativos.hi5.com

.citação

"Orgulhosamente invicta e tripeira, aí está a emblemática cidade do Porto."

Site das Pousadas da Juventude

.foto

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

.a cidade em música

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.posts recentes

. O Porto na perspectiva do...

. O Porto na perspectiva da...

. O Porto na perspectiva do...

. O Porto na perspectiva da...

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.pesquisa

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

O Porto na perspectiva do Pedro Meireles

A minha cidade é acolhedora, tem um clima ameno e uma cultura riquíssima. É uma cidade em constante desenvolvimento, o que a torna cada vez mais apetecível para os turistas.

 

Uma das suas áreas de excelência é a zona que se extende desde a Foz até ao Castelo do Queijo e ao Edifício Transparente. É aqui que considero estarem os componentes que marcam um enriquecimento do Porto, tanto a nível turístico como humanístico. Para além de se contar com uma paisagem modernizada e agradável do ponto de vista arquitectónico, é possível a prática de actividades em família, como passeios pela praia ou paragens nas esplanadas ou espaços comerciais. Por outro lado, é um grande incentivo aos desportos radicais, como o surf, o skate e os patins em linha, e até a um passeio de bicicleta, que é bastante frequente nos amplos passeios da Foz.

 

A facilidade em aceder a esta zona, quer por diversos transportes públicos quer por automóvel, existindo inúmeros espaços de estacionamento, apela a uma maior concentração de portuenses e turistas que podem apreciar tudo o que o Porto tem para oferecer.

 

O mar completa este cenário paradisíaco e dá à Invicta um toque mágico, que não é possível encontrar na maioria das grandes cidades europeias.

 

 

 

publicado por Invictus às 22:10

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

O Porto na perspectiva da Ana Nunes

A minha cidade encontra-se verdadeiramente entre a serra e o mar. De um lado os vales e montes de Valongo e Rio Tinto entre outras localidades, do outro o grande oceano Atlântico.

 

E é esta dualidade que confere ao Porto muita da sua alma e da sua história. Conhecido mundialmente pelo sue vinho, feito nas montanhas, o povo da Invicta ganhou a sua alcunha de Tripeiros por auxiliarem as Naus que partiam pelo mar fora, cedendo-lhes a melhor carne dos porcos e ficando apenas com as tripas.

 

Assim escolhi para a minha pin-hole a praia do Homem do Leme. Tenho muito orgulho em ser tripeira e mais ainda no facto de esta belíssima praia ter alcançado este ano o estatuto de bandeira azul (ou seja, é 26 vezes melhor do que uma praia considerada própria para banhistas).

 

Deixo-vos com a letra de uma fantástica música dedicada ao Homem do Leme:

 

Sozinho na noite
um barco ruma para onde vai.
Uma luz no escuro brilha a direito
ofusca as demais.
 
E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
vai quem já nada teme, vai o homem do leme...
 
E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder...
 
No fundo do mar
jazem os outros, os que lá ficaram.
Em dias cinzentos
descanso eterno lá encontraram.
 
E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo, impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
vai quem já nada teme, vai o homem do leme...
 
E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder...
 
No fundo horizonte
sopra o murmúrio para onde vai.
No fundo do tempo
foge o futuro, é tarde demais...
 
E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder...  

publicado por Invictus às 22:01

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Maio de 2008

O Porto na perspectiva do Pedro Sequeiros

A zona da praça dos Leões é um dos meus locais predilectos do Porto, tanto pelo seu espaço amplo como acolhedor.

 
É um ponto de convergência de vertentes culturais que constituem uma cidade, desde a parte educativa como a existência da faculdade de Ciências e do ICBAS (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar), até à parte social, relacionada intimamente com a área da arte, pois a mesma praça é um local onde as pessoas podem relaxar/descontrair num café, conversar e observar a beleza estética da paisagem à sua volta.
 
Além de mais, passou a ser um ponto de encontro para os ciclistas, nomeadamente para a Massa Crítica (já falada anteriormente), que viu neste espaço, um local para início da divulgação da sua actividade, um lugar que ganhou mais valor, mais vida.
 
É por estas e outras razões que tornam a praça dos Leões um local especial no meio da grande e movimentada Invicta, pois “convida” as pessoas para um momento de distracção, algo cada vez mais raro encontrar em cada cidade e certamente e, se não fosse este projecto a abrir-me os olhos, provavelmente continuaria a ser um local escondido da cidade.
 

publicado por Invictus às 22:16

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Maio de 2008

O Porto na perspectiva da Joana Gouveia

Lançado o desafio no Colóquio Fotográfico, cada elemento do nosso grupo tirou uma fotografia a uma zona do Porto, à escolha, usando a técnica de Pin-Hole.

 

A designação de Pin-Hole tem por base o inglês e pode ser traduzida por "buraco de alfinete", sendo uma maneira de ver uma imagem real através de uma câmara escura.

 

Assim, é feito um pequeno orifício numa caixa, onde a luz é captada e que vai fazer com que a imagem seja projectada para a parede oposta ao orifício, onde se encontra o nosso papel fotográfico.

 

Para produzir uma imagem razoavelmente nítida, a abertura tem que ser um furo pequeno na ordem das 0,02 polegadas (0,5 mm) ou menos, daí que as câmaras requeiram um tempo maior de exposição do que as câmaras convencionais; os tempos de exposição podem ir de 5 segundos a muitas horas.

 

Para este desafio se tornar real tivemos a ajuda do Prof. Manuel Araújo e da sua turma da Escola Artística e Profissional Árvore.

 

--------

 

A zona do Porto que escolhi foi a frente ribeirinha da cidade, precisando para isso de ir até Gaia para ter a melhor visão possível.

 

Para mim, esta zona continua a ser o postal de boas vindas da cidade e, mesmo sendo habitante dela, continua a fascinar-me.

 

Uma vista sobre o Rio Douro, algumas das pontes que o enfeitam e um casario sem fim, onde se vão destacando a Torre dos Clérigos, a Muralha Fernandina ou o Pavilhão Rosa Mota como ícones, são sempre um alento para ver a nossa cidade com bons olhos.

 

Às vezes, mudar de perspectiva pode-nos mostrar coisas que até lá, por distracção, íamos desprezando.

 

Este ano foi um ano de descoberta da cidade, de a ver de muitas maneiras, mas no final sinto que valeu a pena, foi uma mais valia para a minha vida, cresci, ganhei novas competências e consegui obter conhecimentos que sei que vão permanecer. 

  

 

publicado por Invictus às 23:35

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Mississippi Jones Act

.sabia que...

desde 18 de Abril o Porto passou a ter um Código Regulamentar do Município?

.dá a tua opinião

Qual a melhor forma de divulgar uma noticia no Porto?
Jornais
Radio
Revistas
Passa-palavra
Outdoors
Televisao

.sugestão cultural

Galeria Internacional do Cartoon

Museu Nacional da Imprensa

.links